QUEM SOU EU?

Sempre fui apaixonada pela relação entre língua e cultura. Ambas alimentam-se mutuamente e estão em constante evolução, à imagem da nossa sociedade.


E. Mercier
Após uma Licenciatura em Línguas Estrangeiras Aplicadas, interessei-me muito rapidamente pela profissão de tradutor, esse trabalhador da sombra de que ninguém fala e que, no entanto, tem um papel fundamental no desenvolvimento do fenómeno da globalização.

Diplomada de um Mestrado em Artes, Letras, Línguas, Menção Letras, Línguas e Assuntos Internacionais, Opção de Tradução de Edição, optei por completar a minha formação literária trabalhando ao lado de profissionais de tradução técnica.

Graças a estas experiências, sou hoje capaz de me adaptar a uma vasta gama de suportes, de compreender os seus desafios e de transcrever o seu conteúdo segundo as estratégias de comunicação definidas pelos seus autores.
Porque compreender o Outro não é apenas prestar atenção ao que ele diz, é também prestar atenção à sua maneira de dizer as coisas.


NÃO DEIXA MARGEM PARA AMBIGUIDADES

Recorrer a um tradutor independente é tratar apenas com um único interlocutor.

Tratar directamente com quem se encarregar da prestação permite evitar qualquer ambiguidade susceptível de depreciar os seus documentos finais.


CONFIA OS SEUS DOCUMENTOS A UM PROFISSIONAL

Ficar fiel ao texto original, adaptando-o mesmo assim ao seu leitor-alvo: traduzir é um exercício de equilíbrio.

E isso se aprende.

Ao confiar os seus documentos a um profissional diplomado, assegura-se de colaborar com um especialista competente, que utilizará as ferramentas e os recursos mais adequados.


TRADUZIR PARA O FRANCÊS: PRIVILEGIAR UM FALANTE NATIVO

Falar uma língua estrangeira é uma coisa. Dominar cada nuance e respeitar à letra as regras estilísticas que lhe são próprias é outra.

Sou daqueles que pensam que só se pode traduzir perfeitamente para a sua língua materna. Assim, faço o totalidade das minhas prestações para o francês.